Arquivo

Posts Tagged ‘joão almeida’

E o verão passou

Setembro 22, 2011 Deixe um comentário

não me afasto para dentro de nenhum abrigo
as palavras são estas no nevoeiro

pela estrada plana

paro à porta de alguém provável
e avanço de novo
sem mais ninguém

[João Almeida, in Um Milagre no Caminho, Averno, 2011]
Categorias:poesia Etiquetas:

O Contínuo Andaluz

Março 21, 2011 Deixe um comentário

para J-EN

Já não penso por destino

oh o andar da utente que se vai
tudo justo e a brilhar
quem te bebe viverá melhor
e que te saiba merecer

também vendemos livros de glória e eternidade
canetas, tshirts e telemóveis
para tudo, tudo se cura
carne e vinagre que não sei descrever a um cego

e da linha amarela para a minha frente
à espera de vez
tanta gente com um número na mão
e nenhuma garrafa de gás para explodir.

[João Almeida, in Glória e Eternidade, Teatro de Vila Real, 2009]

por vezes o mundo é cruel para as pequenas criaturas

Março 21, 2010 Deixe um comentário

hoje a noite é uma auto-estrada
e a infância é a empregada galega do froiz

a origem do mundo chamou por mim
tenho dois filhos e faço limpezas
– disse-me depois

nasce o dia
ao sair da cozinha tudo na mesa parece obra do diabo
copos por levantar, o cinzeiro usado, talheres sujos
e livros de poesia

[João Almeida, in Glória e Eternidade]

%d bloggers like this: