Arquivo

Posts Tagged ‘cerco voluntário’

14

Março 21, 2010 Deixe um comentário

Desertei das falanges do ouro
para vir visitar a tua sombra.
Movias-te como se jamais te prendesse
outra lealdade
que não a interrogação
de um cais. E, porém,
os teus olhos silenciosos,
somando as imagens.
Qual pano,
desce sobre a cidade o músculo
das coisas prementes.
Das safras de pólvora colhi a tua incerteza
de rapariga. Depois, perdi-te
entre os prodígios.

[Vasco Gato, in Cerco Voluntário]

10

Janeiro 31, 2010 Deixe um comentário

Custa-nos respirar,
a paixão exige-nos que nos
abandonemos à ideia de uma asfixia:
eu sem ti não posso assinar
o tempo,
preciso dos teus
olhos
de cidade devassada.

[Vasco Gato, in Cerco Voluntário]

Categorias:poesia Etiquetas:,
%d bloggers like this: