Arquivo

Posts Tagged ‘amor’

despedidas

Abril 28, 2018 Deixe um comentário

A última vez que o vi, estava de costa, mijava para uma vala na berma da estrada, contemplando o campo de ervas altas de cor primaveril que tinha à sua frente.

-————

Abracei-a como se fosse a última vez. Cheirei o seu pescoço para guardar o perfume que me inebria a cada momento de proximidade. Afaguei os cabelos longos, senti a leveza e suavidade do toque. Olhei-a nos olhos e afastei-me. Foi para sempre.

-————

Nunca o tinha visto antes. Um velório concorrido. Sem carpires. Havia até uma nuvem de felicidade. Disseram-me que ele era assim: feliz.

Anúncios

Tsiang Lin e a tempestade

Março 21, 2018 Deixe um comentário

Passo bem com a tempestade

embora esteja claro que, no final, me destruirá
e terei que reconstruir-me com o que restar na praia, madeira,
caracóis, fogueiras apagadas

e animais que já não sabem se são da terra, do ar ou do mar.

Já não seria eu, é claro, terias que ter um pouco de paciência,
poderias descarrilar-me com um beijo

ou engasgar-me com um rolo de sushi. Nada de grave: o pior
que poderia acontecer era não me lembrar que me amas.

Porque nenhuma tempestade me fará esquecer que te amo.

[José María Zonta, in Nervo #1, trad. Élia Calvo, 2018]

adição

Setembro 9, 2010 Deixe um comentário

adição
(latim additio, -onis, adição, acrescentamento)
s. f.
1. Acto! ou efeito de adicionar ou de adir.
2. Porção que se ajunta. = soma
3. Operação em que se juntam duas ou mais parcelas para obter um número total. = soma ≠ subtracção!
4. Med. Psicol. Dependência física ou psíquica.

entre o 1º e o 4º significados do substantivo feminino, vivo a minha vida com medo de não suprir a quem de mim espera tal.

sou adicto nos 1º e 3º significados.

sou viciado em livros, com crivo para a poesia e determinados autores e editoras, e discos, com refinação ao vinil.

amo os conteúdos e os objectos. servem-me como remédio físico e emocional. há quem lhe chame coleccionismo, mas não para mim. é adição.

hoje, tirei dos correios uma rodela de vinil, uma surpresa norueguesa, que o senhor Daniel teve a grandeza de me remeter.

a minha desgraça chora em pranto e adrenalina. muito obrigado. a minha alegria agradece do fundo do coração.

a luz vem dos recantos mais longínquos.

the royal words through fireworks

Agosto 28, 2010 Deixe um comentário

most people enjoy the enjoyable part of their own lives waiting for a better enjoyment. still they often smile towards children while thinking “one more to behold in sacrifice”.

love is everything. life ends.
love is everywhere. death too.

Categorias:escrita Etiquetas:,

between the desert and the city lights

Janeiro 8, 2009 Comentários desativados

gostava de ser feliz

Julho 17, 2008 3 comentários

na batalha dos dias, enquanto os olhos guardam a insatisfação dos tempos, o que eu penso é que gostava de ser feliz.

ser feliz assim como em ser contente, sem preocupações, sem que a vida me trouxesse atribulações nem problemas solúveis apenas com a calma e a serenidade.

ser feliz cerebralmente. não falo de amores. falo de paz interior na relação com o mundo exterior. não falo de amores, porque esses fazem parte do mais interno dos interiores.

ser feliz cerebralmente. como a morte.

Categorias:teoria Etiquetas:, ,

para um eco

Junho 22, 2008 Deixe um comentário
Categorias:intimidade, versos Etiquetas:
%d bloggers like this: