Início > versos > – o –

– o –

Ontem, não acrescentei um
som ao meu poema.
Tenho muito para te dizer.
Guardei para hoje a lamúria.

Estou cada vez mais pobre. Menos cheio de esperança e de amor.
O cão cheira-me as calças,
não me reconhece já. Envelheci
e pareço morto. Sacudo
-lhe as orelhas e beijo-o.
Irreconhecível.
Pele mate. Olhos baixos.
Corcunda nas costas. Enfim,
Triste e vazio.
Levo um saco na mão onde
Poderia estar agarrada outra mão De outro corpo. Outra história.

Guardo as provas de ter existido
Num baú de piratas enterrado
À beira de um mar de força hercúlea.

Sonho. Durmo. Acordo.
E choro.
Seco.

Anúncios
Categorias:versos Etiquetas:
  1. Março 24, 2014 às 10:06

    :*

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: