Início > poesia > Suspeitas

Suspeitas

Segredos à distãncia de um múrmurio,
sob todas as reservas e cautelas.
As nossas suspeitas estavam certas.

O farol do comércio tradicional
anda a ler um livro. Deve ser
o primeiro sinal do apocalipse.

Isto do amor é uma grande porra.
Sentimos a terra tremer.
Destroços à beira do caminho.

[Vítor Nogueira, Comércio Tradicional, Averno, 2008]
Anúncios
  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: