Início > poesia > Parar o tempo

Parar o tempo

O dia é longo,
se quero ver-
-te outra vez preciso contar
cada hora        como se fosse um dia,

cada dia transforma-se
num ano. Lembrar-
-te-ia, calma,
voz dura,

cada ano
uma ponte
ainda por terminar:
procuro por ti.

Quando os ramos crescem
prateando o céu,
tenho que fechar os olhos,
telefono-te mais tarde.

Para te encontrar,
aparo cada segundo,
divido-o, escrutino-o,
partícula tua        olho
as tuas mão e o cabelo.

[Louise Cole, Jewelled Tree, Spout, 2000, versão minha]
Anúncios
Categorias:poesia Etiquetas:
  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: