para um outono

sempre incomodado com a morte, como se, na vida, devesse ter tido mais cuidado com os que saíram porta fora.
não será agora, corpos-terra, que lhes darei mais alento na dor, na solidão ou na loucura exposta. ainda não descobri se lhes tenho saudade ou inveja.

o sol aquece o fresco outonal, em mais uma manhã sacrificial.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s