Início > poesia > DO CAMPO DE SANT’ANA À RUA DO CAPELÃO

DO CAMPO DE SANT’ANA À RUA DO CAPELÃO

para o Miguel Martins, em noite de ébria e partilhada olissipofilia

Amália, Luís de Camões, Wenceslau
de Moraes, Fernando Maurício, a Severa.
Poderíamos ter continuado assim
durante a noite inteira, à procura de lápides
e sepulcros que a cidade de Lisboa guarda.

Mais sábio, o teu álcool escolheu como
último destino uma fonte manuelina,
e deixou para trás azulejos barrocos,
velhas mansões em ruínas, a imagem
quase dolorosamente bela da rua do Capelão
às duas da manhã, quando as janelas se apagam

e o mundo, só para te contrariar, parece habitável.

Post roubado ao Miguel Martins, a quem foi dedicado este poema inédito.

Anúncios
Categorias:poesia Etiquetas:,
  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: