os amantes entredevoram-se alegremente

os amantes entredevoram-se alegremente
não é verdade o seu amor de corpo inteiro
é verdade o amor não o seu corpo inteiro
lá onde estejam e por uma sorte obscura
que a cada um ultrapassa ó alegria animal
um ao outro abocanham-se pedaços reciprocamente
se arrancam seios narizes cabelos olhos
membros sorrisos línguas bocas entreabertas
é alegre e despreocupadamente que o fazem
e assim incansáveis todas as horas dos seus dias
um ao outro devoram-se e depois mais lentos
digerem devoram e digerem lambem e esquecem

[Rui Caeiro, in Livro de Afectos]

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s