Início > poesia > O acre odor do sexo está a endoidecê-los

O acre odor do sexo está a endoidecê-los

O acre odor do sexo está a endoidecê-los,
e aos seus donos:

quando vénus ascende no firmamento
há sempre cem perguntas e cem passos
que na obscuridade ofegam,
sob o peso de diademas de víboras
e báculos que chamejam.

Por mais que queiram,
não nos suportam a pureza da carne
e os seus ritos primordiais
e derradeiros.

Eu,
tu:

a beleza sumptuosa
que emociona.

[Amadeu Baptista, in Escalpe]

Anúncios
  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: