Na cama

A minha doença obriga-me à imobilidade absoluta na cama. Quando o tédio assume proporções excessivas que vão desequilibrar-me, se não intervierem, eis o que faço:

Esmago o meu crânio e estendo-o à minha frente, tão longe quanto possível, e quando está bem achatado, mando sair a minha cavalaria. Os cascos batem nítidos neste chão firme e amarelado. Os esquadrões lançam-se imediatamente a trote, e os cavalos saltitam e escoiceiam. E esse barulho, esse ritmo nítido e múltiplo, esse ardor que respira o combate e a Vitória, encantam a alma daquele que está pregado à cama, e não pode fazer o menor movimento.

[Henri Michaux, in As Minhas Propriedades]

Anúncios

One thought on “Na cama

  1. nunca li Michaux. a ideia (ápenas a ideia, não o estilo narrativo) de imobilidade do corpo e esse percurso pelo interior da mente, como que em delírio, lembra-me Beckett. provavelmente, até são muito diferentes (?)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s