Início > posto móvel > súmula

súmula

Morri quando morreu a adolescência
(O calcar de uma flor!),
Sem saber da ciência
Do amor.

Julguei que bastava um verso.
Um soneto, talvez.
(Contigo é que converso,
Lirismo português,
Pra me manter emerso
Da minha pequenez.)

Embarquei em segredo
O sonho em que se aposta.
O naufrágio foi cedo:
Só farrapos de mim deram à costa.

(Paraíso perdido.
Coração solitário.
Dantes, tão sentido.
Agora, tão literário.)

(1.11.2004)

[António Manuel Couto Viana, de Restos de Quase Nada, in Restos de Quase Nada e Outras Poesias]

Anúncios
  1. Ainda sem comentários.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: