sobre a razão

Num país que não conhece
sequer o sabor da sua própria nudez

erramos na noite sobre os membros
o peso obscurecido do desejo —

tão alta é a nossa razão
que somos nós a boca mais fresca do sol.

[Eugénio de Andrade, de Véspera da água, in Poesia]

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s